segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O Contentamento dos Descontentes

Escrever é algo que gosto muito. Não tenho o costume de escrever para que os outros leiam, mas nos últimos tempos tenho sentido tal necessidade.
Lecionar é uma verdadeira paixão. Só quem consegue sentir o mesmo contentamento do sorriso de uma criança que acabou de descobrir como se lê; ou o semblante de um adulto que, já sem esperança, consegue se comunicar em outro idioma; ou ainda a viagem silenciosa de um aluno que está absorto na leitura de um livro pode dizer o mesmo.
Ultimamente o mundo parece, no entanto, estar em colapso. Cada vez menos pessoas têm tais sentimentos e cada vez mais os professores parecem distantes da “alma do negócio de ensinar”. A cada ano, mais alunos parecem ter regredido anos de evolução da humanidade e não encontrei ainda alguém que pudesse verdadeiramente me dizer a razão disso.
Tenho observado muito as pessoas – coisa que todos deveriam fazer. Por meio desta observação resolvi me mexer e, pelo menos, tentar passar minha mensagem àqueles que se interessam por um futuro (um pouco) melhor, pois do jeito que anda, nem futuro tenho conseguido enxergar.

2 comentários: